Nome e descrição dos estilos de interiores de cozinha

Banheiros

Existem bastantes estilos de design de interiores. Por vezes existe um estilo específico, mas recentemente tem havido uma tendência para misturar e combinar. O design interior da cozinha desempenha um papel importante; não só deve ser prático e bonito, mas também deve ser confortável. Para decidir que estilo de cozinha escolher, é melhor saber mais sobre as tendências de design de interiores e as suas particularidades. Para além da descrição dos estilos de cozinha, vale a pena estudar e fotografar com os nomes de opções de design específicas.

Quais são os estilos de interiores de cozinha

Como regra, o estilo interior é escolhido não só para a cozinha, mas de uma só vez para toda a habitação. Quer seja uma casa ou um apartamento, pode usar qualquer estilo, desde o país com alma a um sótão ultramoderno.

A escolha é baseada no gosto pessoal dos ocupantes, mas não devemos esquecer também o lado prático.

Cada estilo tem características que precisam de ser equilibradas em relação ao orçamento e ao espaço. Há algumas nuances a considerar:

  • Alguns estilos exigem uma abundância de luz natural na sala. Por exemplo, um interior escandinavo é impensável numa cozinha com uma janela virada a norte.
  • O espaço também é essencial. As cozinhas clássicas rococó e barrocas caracterizam-se pelo estuque e pela decoração deliberada. Tal decoração ficaria fora de lugar numa pequena cozinha.
  • O orçamento atribuído para obras de renovação é também importante. O minimalismo e a alta tecnologia excluem a utilização de torneiras, mobiliário e aparelhos baratos. Além disso, os materiais utilizados em tais interiores não são baratos.
  • Se o resto do apartamento ou casa já tiver sido renovado, então a cozinha não precisa de mudar a direcção. É possível incluir elementos de um estilo diferente no interior, mas a utilização de um design completamente diferente violaria a completude da imagem.

A principal tendência pode ser escolhida ponderando os prós e os contras. O principal é ter uma boa ideia do que é cada um destes estilos.

Estilos modernos de interior de cozinha

Desde há vários anos, várias tendências de design de interiores têm estado no auge da fama. São ainda correntes e são utilizadas activamente por designers de todo o mundo. Num contexto de luta geral pela ecologia e tudo o que é natural, o estilo ecológico é muito actual, e o estilo escandinavo há muito que tem conquistado muitos com a sua simplicidade e facilidade.

Alta tecnologia

Este estilo reflecte plenamente o espírito do mundo moderno. Os principais materiais utilizados no design do interior são o vidro e o metal. O estilo é ideal para salas pequenas porque utiliza predominantemente linhas rectas e formas simples.

A principal diferença entre a alta tecnologia e a moderna é a utilização de tecnologia moderna. É por isso que não é adequado para renovação de baixo custo – a tecnologia moderna é cara. Quanto à cor, existe uma restrição estrita – apenas 2, mas podem ser usadas cores contrastantes. A combinação mais frequentemente utilizada de vermelho e preto, bem como de aço com cinzento, verde e azul.

Minimalismo

Este estilo pode ser chamado o mais universal e prático. A ênfase principal é colocada em linhas austeras, ausência de decoração e acabamentos mínimos. Também só são utilizadas cores monocromáticas, e não sombras.

O minimalismo é adequado para salas espaçosas e brilhantes. A presença de espaço livre é a sua característica distintiva. Não se deve esquecer a tecnologia – deve parecer tão rigorosa quanto possível, mas ao mesmo tempo moderna.

Moderno

A Art Nouveau é de certa forma semelhante à alta tecnologia e ao minimalismo. Caracteriza-se por formas rígidas, um mínimo de decoração e um máximo de praticidade. O principal na Art Nouveau é o equilíbrio e a praticidade. Trata-se de um mobiliário rigoroso e fácil de usar, aparelhos embutidos, combinações harmoniosas de cores.

Ao decorar o interior no estilo Art Nouveau, também a iluminação deve ser tida em consideração. Os holofotes podem dar um encanto especial aos modernos e acrescentar um pouco de aconchego ao interior.

Um dos estilos contemporâneos mais interessantes. Não há muito tempo, os designers tentaram esconder cuidadosamente todas as utilidades e tornar as paredes tão planas quanto possível. Não tem nada a ver com o sótão. A presença de fios, tubos e lâmpadas comuns é a sua peculiaridade. Devemos também acrescentar a esta lista as paredes de tijolo não tratado.

As paredes, o tecto e o chão são decorados com materiais que poderiam ser descritos como urbanos. Betão, madeira em bruto e vários metais são todos inerentes ao loft. Os blocos e vigas de vidro no tecto também são utilizados com bastante frequência. O ambiente geral deste desenho poderia ser descrito como ‘lounge’.

Escandinavo

Este estilo, que é originário da Escandinávia, é perfeito para salas pequenas e não requer muito investimento. Mobiliário simples em cores claras, sem cortinas nas janelas – não é muito difícil de implementar, mesmo com um orçamento limitado.

Para além da simplicidade do mobiliário, são utilizados muitos têxteis. Estas são frequentemente almofadas e tapetes de várias cores e tamanhos. A cor principal numa cozinha escandinava é sempre branca, com o resto do mobiliário a actuar como um sotaque. As cores podem ser vívidas e suculentas ou discretamente harmoniosas.

As cozinhas de inspiração ecológica tornaram-se muito populares, assim como a preocupação geral com a ecologia. A rejeição do plástico e materiais similares elevou automaticamente o prestígio dos materiais naturais. São a característica distintiva do estilo ecológico.

É um erro pensar que o eco é uma opção orçamental. É claro que é possível poupar dinheiro e utilizar materiais mais baratos com textura semelhante em vez de madeira, mas não será ecológico.

O verdadeiro eco permite a utilização de materiais não naturais apenas onde é necessário. Diz principalmente respeito aos aparelhos e comunicações. Móveis, decoração de paredes e pavimentos, bem como decoração, implicam a utilização apenas de materiais naturais.

Art Deco

O provocativo e grotesco Art Deco poderia ser considerado retro, mas é tão popular entre os designers contemporâneos que poderia ser considerado contemporâneo. O estilo combina muitas coisas – madeira natural, pedras preciosas e estampas animalescas. Uma abundância de luminárias e candelabros maciços dão ao interior um aspecto pomposo e brilhante.

As linhas estão de preferência a fluir, mas por vezes pode haver austeridade e simetria. A paleta de cores de um interior pode incluir 3 ou 4 cores. As tonalidades de cinzento, castanho ou bege são normalmente utilizadas como cor principal, sendo as variações de borgonha, dourado ou vermelho utilizadas como acentos adicionais.

Estilos rústicos na área da cozinha

Muitas pessoas preferem um interior mais calmo e acolhedor, mais de acordo com o conceito de ‘caseiro’. Para aqueles que gostam de uma atmosfera quente, uma cozinha num dos estilos do país é a escolha certa. Podem diferir uns dos outros, mas o que têm em comum é o ambiente rural quente da casa de campo.

Provença

O estilo Provença está impregnado com a atmosfera de alma do campo francês. As cores dos pastéis, mobiliário envelhecido e tons de lavanda são uma parte essencial deste estilo. Os materiais naturais são uma prioridade, especialmente a madeira.

País

Esta tendência está dividida em várias tendências. Há música country inglesa, russa e americana. Pode dizer-se que cada país tem a sua própria tendência. Uma característica distintiva é a abundância da decoração nacional. Entre os materiais a prioridade é dada à madeira natural e às vinhas.

Rústico

Este estilo é chamado uma das variedades do estilo do país. Tem frequentemente elementos étnicos, e os materiais naturais são utilizados para decoração e mobiliário. As flores, especialmente as grandes em vasos maciços, são também utilizadas neste estilo.

Outro estilo que faz uso extensivo da madeira. O mobiliário é de preferência sólido e existem vigas de madeira nos tectos. O esquema de cores do estilo chalé é harmonioso e suave – tons contrastantes não são utilizados. Os animais recheados e as peles de animais podem ser utilizados como decoração.

Estilos clássicos

O clássico permanece intemporal e intemporal. Há várias tendências de design que partilham uma orientação clássica. Vale a pena salientar desde já que um desenho clássico não é adequado para espaços pequenos e implica também tectos altos.

Clássico

Clássico é caracterizado pela harmonia e nobreza. Os móveis devem ser de madeira e de preferência em tons mais escuros, embora haja muitas opções com a utilização de unidades de cozinha leves. A decoração é utilizada não só como sotaque, mas também para os revestimentos de paredes e pavimentos. Vários ornamentos e baixos-relevos são também populares.

Neoclássico

O neoclássico moderno tem muito em comum com os interiores clássicos, mas há também diferenças. A quantidade de decoração é muito menor, e o branco ou creme é utilizado como o tom principal. Acima de tudo, os interiores neoclássicos devem ser leves. Enquanto as cozinhas clássicas utilizam apenas mobiliário de madeira e parquet, os interiores neoclássicos são feitos com mármore ou azulejos para o chão e materiais que imitam a madeira para o mobiliário. Os estilos de mobiliário de cozinha utilizados devem corresponder ao design geral.

Rococó e barroco

Estas 2 tendências podem ser classificadas como a mesma direcção estilística. Douradura, ornamentos em madeira, mobiliário pomposo – tudo isto é inerente tanto ao Rococó como ao Barroco. Em resumo, uma bela descrição de tal cozinha é palaciana, porque o ambiente num tal desenho é exactamente isso.

A principal diferença é que o rococo é menos pretensioso e permite a utilização de uma vasta gama de cores, e o barroco é mais pomposo e permite a utilização apenas de tonalidades claras.

Outras opções de design de cozinhas

Para além dos básicos, há vários outros estilos de design que são igualmente relevantes. As cozinhas em diferentes estilos, cujas fotos são apresentadas abaixo, podem ser chamadas étnicas. Aqui estão alguns deles:

  • Colonial;
  • Japonês;
  • boho;
  • Mediterrâneo.

A maioria deles são étnicos e transmitem a atmosfera de um determinado país. Incorporam o básico dos clássicos, complementam-no com a cultura do povo e trazem a decoração apropriada.

Importante: cada um dos estilos, que têm um foco restrito, deve ser usado com cautela. É melhor contactar um designer de interiores profissional e elaborar um projecto.

Como combinar tendências e escolher um estilo para a cozinha

As últimas tendências em design de interiores mostram que não é de todo necessário seguir estritamente um estilo de design de cozinha. Procure salas mais vitoriosas, onde uma direcção é escolhida como a principal, e a segunda complementa-a. Aqui estão algumas opções que lhe permitem combinar estilos de cozinha no interior:

  • O clássico pode ser complementado por elementos de rococó, barroco ou eco.
  • O minimalismo pode ter indícios de alta tecnologia.
  • O escandinavo pode ser complementado por dicas de estilo rústico.

Estilos como Art Nouveau, Loft e Art Deco evitam na sua maioria misturar estilos. São bastante abrangentes por direito próprio e a adição de elementos de outra tendência pode estragar o quadro geral.

Ao escolher um estilo para o seu interior, considere os seguintes pontos:

  • espaço e luz;
  • recursos materiais;
  • preferências gustativas;
  • O estilo das outras salas.

A escolha pode também ser influenciada pela natureza da habitação, ou seja, se se trata de uma casa ou de um apartamento. O estilo rústico é mais frequentemente utilizado para casas particulares ou casas de campo, enquanto que os estilos mais modernos são utilizados para apartamentos.

Existem várias tendências de design de interiores para cozinhas, que incluem uma série de estilos básicos. Cada estilo tem as suas próprias características e características de utilização. Para além do gosto, as características da sala e o orçamento atribuído para a renovação devem também ser tidos em conta.

Design Vagrant